FMZ A RÁDIO DA FAMÍLIA

Home Notícias Agronegócio

Agronegócio

26.10.2018


Febre aftosa: segunda etapa de vacinação começa em novembro

 

 

 

A segunda etapa da campanha de vacinação contra febre aftosa, coordenada pelo Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf), começa na próxima semana. Os responsáveis por bovinos e bubalinos devem vacinar seus animais, de todas as idades, entre os dias 1º e 30 de novembro.

 

A vacinação é obrigatória e aqueles que deixam de vacinar estão sujeitos a multa, além de ficarem impedidos de retirar animais de suas propriedades até regularizarem a situação sanitária do rebanho.

 

De acordo com o diretor-presidente do Idaf, o comprometimento do setor produtivo é fundamental. “Estamos caminhando para a retirada da vacinação, a partir de 2021. Nessa reta final, é preciso que o compromisso dos produtores seja redobrado para que o Espírito Santo tenha êxito nos inquéritos sorológicos realizados pelo Ministério da Agricultura para comprovar a eficiência vacinal, ou seja, se os animais realmente estão vacinados. A expectativa do Idaf é que a totalidade do rebanho do estado seja imunizada, contemplando cerca de 2 milhões de cabeças”, disse.

 

Segundo o médico-veterinário do Idaf José Dias Porto Júnior, responsável no Instituto pelo Programa de Combate à Febre Aftosa, a vacina é essencial para garantir a proteção dos animais. “Sem a imunização, eles estão vulneráveis ao vírus da febre aftosa, que pode levar ao sacrifício de todo o rebanho; um prejuízo enorme tanto para o produtor quanto para o Estado”, explicou.

 

Além de impactar a pecuária da região, a febre aftosa também afeta outros segmentos econômicos, gerando grande restrição comercial.

 

Como vacinar

 

A vacinação é de responsabilidade do produtor e as vacinas devem ser adquiridas em lojas agropecuárias cadastradas junto ao Idaf. Após a compra, é importante seguir as normas de transporte, manutenção, higienização e aplicação para não comprometer a qualidade do produto.

 

Porto Junior explica que elas devem ser transportadas em isopor de tamanho adequado, com gelo em quantidade suficiente, e ser conservadas na temperatura correta (de 2°C a 8°C). “Outra recomendação é substituir a agulha a cada dez animais vacinados e limpar seringa e agulhas no início e ao final do procedimento, fervendo-as e guardando-as limpas e secas”, explicou o médico-veterinário.

 

Comprove a vacinação

A comprovação da vacinação é obrigatória e pode ser feita pela internet (até 30 de novembro) ou nos escritórios do Idaf (até 10 de dezembro). Para o procedimento on-line é preciso comparecer previamente ao escritório do Instituto para obter login e senha de acesso ao sistema, caso ainda não possua.

 

Durante a comprovação da vacinação, os produtores também devem informar os nascimentos e as mortes de animais ocorridos na propriedade desde a última atualização do rebanho.

 

 

 

 

 

Comentários Facebook


 

 


Facebook


Twitter


Clima

(28) 3546-3068

radiofmz@radiofmz.com.br

 

Av. Ângelo Altoé, 886 - Ed. Esmig - Sala 01 - Centro - CEP - 29375-000 - Venda Nova do Imigrante (ES)


© 2017 Rádio FMZ. Todos os direitos reservados.