FMZ A RÁDIO DA FAMÍLIA

Home Notícias Saúde

Saúde

29.07.2020


Ocupação dos leitos de UTI no ES alcança a menor taxa em três meses

Índice de 70,62% é o menor desde abril, quando a expansão da oferta de vagas deixou o indicador na casa dos 60%

 

 

 

 

A desaceleração no ritmo de casos de Covid-19 no Espírito Santo está diminuindo a pressão sobre os serviços de saúde, e a taxa de ocupação de leitos de UTI para pacientes com a doença tem caído gradativamente. Nesta quarta-feira (29), o indicador chegou a 70,62%, o menor índice em três meses.

 

Mesmo com o início da migração de leitos para pacientes com outras doenças, a utilização das vagas por pessoas infectadas pelo coronavírus tem registrado tendência de queda em todas as regiões. No início da semana, o Norte chegou a atingir 89,74% de ocupação, o mais alto do Estado, e agora está em 82,05%.

 

Na Região Metropolitana, o índice de utilização de leitos de UTI ficou em 71,73%; e, na Central, em 52,27% - ambas em queda, no comparativo de quarta e terça-feira (28). No Sul, a taxa registrada foi de 64,21% nos dois dias, mas já apontava redução em relação ao final de semana.

 

O Espírito Santo já havia registrado taxa de ocupação nas UTIs inferior no final de abril, quando ficou na casa dos 60% a partir da expansão da oferta de leitos.

 

Migração

Nas enfermarias, para pacientes com quadro clínico menos complexo, a taxa de ocupação é ainda mais baixa e está em 58,47%. O indicador favorece a estratégia da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) de promover a migração de leitos, hoje exclusivos para a Covid-19, para fazer o atendimento a pacientes com outras enfermidades.

 

Isso porque, segundo o secretário Nésio Fernandes, há uma margem de segurança para implementar ou não a reversão do perfil hospitalar. Se a taxa de ocupação chegar a 80%, voltam a ser reservados leitos exclusivamente para a Covid; se o indicador ficar próximo dos 70%, é possível retomar a característica inicial dos hospitais, alterada no início de abril para atender demandas da pandemia, e direcionar vagas para outras clínicas.

 

Como o mapa de risco de transmissão do coronavírus no Espírito Santo apresenta como variável de vulnerabilidade, a taxa de ocupação do leitos de UTI, Nésio Fernandes ressalta que a Sesa vai administrar a migração de modo a não passar dos 80%, o que levaria os municípios ao risco alto.

 

Com informações de A Gazeta.

 

 

 

 

 

Comentários Facebook


 

 


Facebook


Twitter


Clima

(28) 3546-3068

radiofmz@radiofmz.com.br

 

Av. Ângelo Altoé, 886 - Ed. Esmig - Sala 01 - Centro - CEP - 29375-000 - Venda Nova do Imigrante (ES)


© 2017 Rádio FMZ. Todos os direitos reservados.