FMZ A Rádio
da Família

Avicultores querem liberação da importação de milho para evitar aumento de preço da carne

Diante da falta de milho no mercado interno brasileiro, os avicultores capixabas e de Estados como Minas Gerais, Goiás e Rio Grande do Sul pressionam o Ministério da Agricultura para liberar a importação do produto. Se aprovada, a abertura vai permitir que o consumidor final não tenha impacto com o aumento do preço de ovos e carnes bovina e suína (nos quais o milho é um

componente essencial), uma vez que quem detém estoque de milho no Brasil tem especulado valores e empresários do setor não conseguem mais arcar com o aumento sem repasse para o consumidor.

O presidente da Associação dos Avicultores do Espírito Santo (Aves), Antônio Venturini, afirma que a falta de milho e a especulação no mercado fizeram com que o preço de um saco com 60 kg do grão passasse de R$ 16 para R$ 35 em dois meses, o equivalente a um aumento de 118%. Ele explica ainda que o grande impasse na liberação das importações é que na legislação brasileira é proibido receber do mercado internacional milho que tenha mais de 1% de transgenia, e que os países que possuem excedente para exportar são aqueles que trabalham com o grão transgênico.

Segundo o presidente, permitir a importação desses grãos, mesmo que temporariamente – até a próxima safra brasileira em fevereiro de 2008 – é a única saída que o governo tem de evitar o aumento expressivo no valor do milho para os produtores e para o consumidor final.

Se não houver a liberação, o representante da associação de avicultores capixavas afirma que ovos e carnes (aves, bovinas e suínas) podem sofrer um aumento de 20% a partir de janeiro na mesa do consumidor. Ele acredita que o Governo irá liberar as importações e que o Ministério da Agricultura já sinalizou positivamente, mas a decisão final depende do Comitê Nacional de Biossegurança.

“A expectativa do setor é que o Governo não tem saída. Ele tem que liberar! E acreditamos que vai liberar porque o ministro da Agricultura já sinalizou, mas não depende só do ministério. Existe a Comissão Nacional de Biossegurança. Até dia 15 de dezembro terá uma reunião extra para discutir somente esse assunto. Acreditamos que será liberado pelo menos momentaneamente até a próxima safra”, disse.

Entenda o caso

O presidente da Associação dos Avicultores do Espírito Santo (Aves), Antônio Venturini, conta que a crise começou porque o Governo Federal teria errado nas estratégias das safras e dos estoques reguladores da produção 2006-2007. Houve excedente de grãos produzidos e, para não prejudicar o produtor de milho, que com o excesso de oferta receberia um valor menor, o governo, aproveitando a quebra de safra do trigo (usado na fabricação de ração animal) na Europa e Austrália, facilitou as exportações do grão sem deixar um estoque regulador do produto no mercado interno. Com isso, passou a faltar milho para avicultores brasileiros. Quem tem estoque do produto, segundo Venturini, tem feito especulações no mercado, o que vem causando o alto custo do grão nos últimos dois meses.

* Fonte: Gazeta Online

Confira mais Notícias

Venda Nova do Imigrante recebe minicurso de produção de cogumelos do Incaper

Agronegócio

Idaf capacita Serviços de Inspeção Municipais e totaliza 525 produtos incluídos no Susaf

Economia

Recorde nas exportações do agro capixaba no 1º trimestre de 2024

Agricultura

Centro de Cafés Especiais do Espírito Santo é escolhido para avaliar grãos do Mato Grosso

PH do SOLO

Venda Nova irá doar calcário, mudas de café e pupunha para produtores

Ruraltur

Empreendedores da região Serrana vão participar de feira nacional no MS

Veja os premiados no leilão de cafés tardios de Venda Nova

Incaper

Tecnologias ajudam agricultores na produção de cafés especiais e sustentáveis