FMZ A Rádio
da Família

Especial Meio Ambiente: campanha contra sacola plástica ganha adeptos

* Por Leandro Fidelis

Por ser uma matéria não-biodegradável, o plástico leva de 100 a 200 anos para se decompor. Preocupados com isto, alunos da Coopeducar intensificam nas ruas uma campanha contra o uso de sacolas plásticas. Alguns comércios já aderiram.

A campanha de cunho ecológico é uma das ações do “Coop em Ação”, projeto da cooperativa de ensino em Venda Nova. O lançamento foi durante a 2ª Feira de Ciências, em setembro.

O material de divulgação faz o alerta: um milhão de sacos plásticos são despejados no planeta por minuto. Uma pesquisa da Funverde revela ainda que cada família brasileira utiliza cerca de 66 sacos plásticos por mês.

Em países como Alemanha, Irlanda, Japão e Portugal, as regras são rígidas. O governo cobra altos impostos pelo uso das sacolas plásticas. A professora de italiano da Alcies Claudete Paste conviveu com isso quando morou na Itália. “Se o cliente faz compras, tem que pagar pela sacola. A maioria já sai de casa com uma de tecido para evitar a plástica”.

No Brasil, alguns Estados criaram leis propondo redução maciça do consumo de sacolas plásticas. É o caso do Rio, Espírito Santo, Minas Gerais e São Paulo, todos da Região Sudestes, onde o comércio está trocando o material plástico por sacolas feitas de tecido, com fibra de cana e de milho.

No entanto, o fim das poluidoras sacolinhas plásticas está longe de ser realidade. “A Coopeducar quer conscientizar esses consumidores do problema que causarão a longo prazo. O apoio do comércio é fundamental, sem contar que a redução das sacolas é uma economia nos negócios”, afirma a diretora da escola, Sirley Brozinga.

Aos poucos, novos adeptos da escola e da comunidade vão aderindo. É o caso da empresária Ana Venturim, que passará a oferecer sacolas de tecidos entre os clientes do seu hotel e restaurante em São João de Viçosa a partir de 2008.

Outro parceiro da Coopeducar é o comerciante Josmar Zandonade, o “Gil”. Sócio de uma farmácia na Vila Betânea, diz que só personaliza sacolas maiores para fraldas descartáveis (consumidas em menor quantidade) e que conscientizou pelo menos 30 fregueses a mudarem de hábito.

“Achei ótima a iniciativa da cooperativa, pena ser difícil fazer os moradores perderem os vícios. Mas diminuiu muito o consumo de sacolas plásticas”.

Você pode conhecer esta e outras iniciativas da Coopeducar. Ligue para (28) 3546-2033.

Confira mais Notícias

Definido calendário do IPVA 2024 para o Espírito Santo

Governo do Espírito Santo anuncia pagamento de abono salarial em dezembro

Procon-ES alerta quanto às armadilhas do verão

Secretaria Estadual de Educação realiza processo seletivo para Cuidador

Nova espécie de planta é descoberta no Espírito Santo

Novos pároco e vigário da Paróquia São Pedro tomam posse em Venda Nova

Transportadores de cargas têm até dia 31 de janeiro para se tornarem MEI Caminhoneiro

Parque Estadual do Forno Grande recebe exposição fotográfica `Aves de Caetés´