FMZ A Rádio
da Família

Crescimento

Exportações do agronegócio capixaba alcançam R$ 8,25 bilhões em dez meses

De janeiro a outubro de 2023, as divisas somaram cerca de US$ 1,7 bi, ou R$ 8,25 bi, valor praticamente igual ao total exportado em todo o ano passado. No acumulado deste ano, o crescimento foi de 20% no valor comercializado e de 7,3% em volume. Mais de 2,1 milhões de toneladas de produtos do agronegócio capixaba foram embarcadas para o exterior.

As maiores variações positivas no valor comercializado foram para gengibre (+109%), café cru em grãos (+49,4%), carne bovina (+30,4%), café solúvel (+14,8%), celulose (+9,2%) e chocolates e preparados com cacau (+6,3%), que compensaram a queda em divisas da carne de frango (-47,1%), peixes (-39,5%), mamão (-16,8%), pimenta-do-reino (-13,5%) e álcool etílico (-9,3%). Os três principais produtos da pauta das exportações do agronegócio capixaba, complexo cafeeiro, celulose e pimenta-do-reino representaram mais de 92,5% do valor total comercializado de janeiro a outubro deste ano.

Em relação ao volume comercializado, foram registradas variações positivas para café cru em grãos (+88,8%), carne bovina (+33,4%), pimenta-do-reino (+6,1%), chocolates e preparados com cacau (+6%), celulose (+2,3%) e gengibre (+1,4%). Houve queda na quantidade exportada de carne de frango (-51,8%), peixes (-36,2%), mamão (-29,6%) e café solúvel (-4,5%).

“A comercialização internacional do agronegócio capixaba de janeiro a outubro cresceu como esperado, mantendo o otimismo para alcançarmos um montante de cerca de US$ 2 bilhões em 2023, tendo em vista que esperamos um crescimento ainda maior entre novembro e dezembro para vários produtos da nossa pauta de produtos comercializada em mais de 100 países”, afirma o secretário de Estado da Agricultura, Enio Bergoli.

Na pauta de exportação do ano passado, a celulose foi o principal produto exportado pelo agronegócio capixaba, correspondendo a 40,53% do valor das exportações. Contudo, em 2023, o complexo cafeeiro passou a ocupar o primeiro lugar, impulsionado pelo café conilon, que praticamente dobrou o volume de sacas exportadas, neste ano.

No acumulado de janeiro a outubro, o complexo cafeeiro permanece em primeiro lugar na geração de divisas, com US$ 784,9 milhões (46,2%), seguido por celulose, com US$ 657,9 milhões (38,7%); pimenta do reino, com US$ 43,8 milhões (7,8%); gengibre, com US$ 29,3 milhões (1,7%); e mamão, com US$ 17 milhões (1%).

“O complexo cafeeiro abriu uma vantagem de US$ 130,8 milhões sobre a celulose e faltam apenas dois meses para fechar o ano. Com base na análise do comportamento mensal das exportações nos cinco últimos anos, o café tende a ter receita superior à celulose nos meses de outubro a dezembro. Portanto, é possível que o café se mantenha à frente da celulose, visto que já tem uma vantagem considerável no acumulado de janeiro a outubro. Os meses posteriores tendem a ser favoráveis para o café, o que deve manter e/ou ampliar a vantagem sobre a celulose para o ano de 2023. O café conilon é o grande responsável por impulsionar esses resultados, visto que o conilon representa mais de 71% do volume exportado do complexo cafeeiro”, complementa Enio Bergoli.

O Espírito Santo foi o estado brasileiro maior exportador de pimenta-do-reino, mamão e gengibre, além do terceiro colocado na comercialização do complexo cafeeiro, envolvendo café cru em grãos, solúvel e torrado/moído.

A Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca, por meio da Gerência de Dados e Análises (GDN/Seag), realiza mensalmente um levantamento detalhado das exportações do agronegócio capixaba, a partir dos dados originais do Agrostat/Mapa e do Comexstat/MDIC.

Clique aqui para acessar o relatório completo das exportações do agronegócio capixaba.

Confira mais Notícias

Agronegócio

Idaf capacita Serviços de Inspeção Municipais e totaliza 525 produtos incluídos no Susaf

Economia

Recorde nas exportações do agro capixaba no 1º trimestre de 2024

Agricultura

Centro de Cafés Especiais do Espírito Santo é escolhido para avaliar grãos do Mato Grosso

PH do SOLO

Venda Nova irá doar calcário, mudas de café e pupunha para produtores

Ruraltur

Empreendedores da região Serrana vão participar de feira nacional no MS

Veja os premiados no leilão de cafés tardios de Venda Nova

Incaper

Tecnologias ajudam agricultores na produção de cafés especiais e sustentáveis

Agricultura

Inscrições abertas para Concurso de Qualidade do Melhor Tomate de Mesa de Venda Nova