FMZ A Rádio
da Família

Febre amarela silvestre: 543 casos foram descartados no Espírito Santo

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) recebeu, entre 1º de janeiro e 30 de setembro deste ano, 876 notificações de suspeita de febre amarela. Quinhentas e quarenta e três notificações foram descartadas. Dos 333 casos restantes, 329 foram confirmados para febre amarela silvestre, ou seja, com transmissão ocorrida na área rural. Com isso, há quatro casos em investigação com quadro indicativo também de leptospirose, febre maculosa, dengue e outras doenças com sintomas semelhantes. Do total de casos confirmados no Estado, 99 evoluíram para óbito.

 

Cobertura Vacinal

 

De acordo com informações enviadas pelos municípios, até o momento, 3.055.576 pessoas foram imunizadas contra a febre amarela em todo o Estado, o que representa uma cobertura vacinal de 85,40% da população capixaba.

 

Até o momento, foram distribuídas 3.472.550 doses para todo o Estado.

 

Macacos

 

A Sesa recebeu notificação de mortes de macacos em 59 municípios, dos quais 28 tiveram amostras confirmadas para febre amarela: Afonso Cláudio, Aracruz, Atílio Vivácqua, Cariacica, Castelo, Colatina, Conceição do Castelo, Domingos Martins, Dores do Rio Preto, Guarapari, Ibatiba, Ibiraçu, Irupi, Itaguaçu, Itarana, Iúna, Laranja da Terra, Marechal Floriano, Pancas, Rio Novo do Sul, Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, Santa Teresa, Serra, Venda Nova do Imigrante, Viana, Vitória e Vila Velha.

Confira mais Notícias

Saúde

Saúde lança campanha de prevenção ao uso de cigarros eletrônicos

Saúde

Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite vai até 14 de junho

Faltas

Alto índice de pacientes faltosos desafia a Secretaria de Saúde de Venda Nova

Saúde

Projeto Conviver: hidroginástica proporciona saúde e bem-estar para os idosos em Venda Nova

Saúde

Dia D de vacinação contra Influenza acontece neste sábado (13)

Saúde

Dengue: Brasil tem mais de mil mortes em investigação

Vacinação contra a Dengue amplia faixa etária em Venda Nova

Instituto Nacional de Cardiologia alerta para aumento da obesidade