FMZ A Rádio
da Família

Motorista cai com carreta no Rio Jucu após grave acidente na BR-262

Trinta minutos de tensão na manhã desta sexta-feira na BR-262, que parou devido a uma colisão entre duas carretas. O motorista Wellington Guilherme Gonçalves, 38 anos, caiu no leito do Braço Sul do Rio Jucu e ficou com as pernas presas às ferragens da cabine da carreta que conduzia.

Wellington ficou somente com o rosto fora da água e conseguiu respirar normalmente apesar de as pernas estarem presas à poltrona e painel da carreta. Momentos após o acidente algumas pessoas de Marechal Floriano se arriscaram pulando na correnteza e nadaram até o local para tentar retirar o motorista com vida.

O operador da Estação de Tratamento da Cesan e vereador João Cabral, foi o primeiro que saltou nas águas barrentas do Braço Sul. “Sem equipamentos e nenhum preparo para a função, apenas dialoguei com a vítima, que em nenhum momento, apesar da situação, demonstrou desespero”, disse Cabral.

Em menos de dez minutos, três viaturas do Corpo de Bombeiros chegaram ao local com 18 homens. Os bombeiros passaram sobre a carroceria da carreta, que parou atravessada no leito do manancial, após quebrar a mureta de proteção da ponte sobre o Braço Sul e cair numa altura de dez metros.

A cabine ficou destruída ao bater na mureta de proteção da ponte e, em seguida, tombar ao lado do cavalo mecânico do Iveco dentro do rio. Para remover o motorista, foram utilizados equipamentos para corte de peças metálicas onde as pernas dele estavam presas.

Ele foi transportado para o Hospital Doutor Arthur Gerhardt, em Campinho. A vítima sofreu cortes em várias partes do corpo e permanece em observação medica na unidade.

Durante todo o tempo que o motorista ficou na água com pessoas da cidade, ele permaneceu calmo e conversando. O mesmo ocorreu quando os bombeiros chegaram e o encontraram somente com a cabeça fora da água. O leito do manancial está com o nível acima do normal, devido chuvas fortes que atingem a região desde terça-feira.

Colisão sobre a ponte

A colisão aconteceu sobre a ponte do Braço Sul do Rio Jucu, no quilômetro 46, da Rodovia BR-262, no Bairro Ponto Frio, Marechal Floriano, às 10h55. Wellington seguia de Minas Gerais para Vitória conduzindo a carreta-bitrém Iveco placas HBG 111160, de Sete Lagoas, Minas Gerais, transportando 40 toneladas de ferro-gusa em blocos. Parte da carga ficou sobre a ponte e cerca de 30 toneladas caiu no leito do rio.

A outra carreta envolvida no acidente é o Volvo placas DBL 8692, de Atibaia, Minas Gerais, conduzido por Josivan Pereira Reis, 38 anos. Ele transportava estruturas metálicas, uma carga excedente, com cinco metros e noventa centímetros de largura e seguia para de Aracruz para a Vale do Rio Doce, em Orilândia, no Pará.

Josivan havia saído do Posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Viana, na manhã desta sexta-feira, e seguia sob escolta policial com dois agentes da PRF e um carro particular de segurança, exigido pela legislação em casos de cargas perigosas. No local do acidente – sobre a ponde do Jucu – a viatura da PRF seguia cerca de 500 metros à frente da carreta, solicitando que os motoristas estacionassem os veículos.

O agente da PRF, Aristides Magalhães, que prestava segurança da carreta, disse que avistou a carreta que seguia na contramão ultrapassando todos os veículos que já estavam estacionados na margem da pista e aparentemente seguia em alta velocidade. “Observei que o carro parecia desgovernado e procedi uma manobra urgente na viatura forçando a direção para o lado direito. Isso salvou a minha vida e do colega”.

Aristides disse que o disquete do tacógrafo da carreta conduzida por Wellington registrava a velocidade de 100 quilômetros horários, quando houve o acidente. O policial explicou que o motorista da carreta com a carga excedente tentou sair para a direita na margem após a ponte, mas a manobra foi impossibilitada pela largura da pista. “Não havia como Josivan chegar mais para a direita. A carreta cairia no rio”, disse.

O motorista do carro de escolta, Sebastião da Rocha, 40, comentou que por sorte deu para realizar uma manobra providencial por já ter passado pela ponte pelo menos 200 metros. “Joguei a direção para o lado direito e previ a colisão. Parei e assisti a cena pelo espelho retrovisor. Manobrei e cheguei ao local com a viatura da PRF que quase foi atingida”.

Durante cerca de 30 minutos, enquanto as equipes do Corpo de Bombeiros trabalhavam para resgatar o motorista, a PRF, por motivo de segurança, manteve o tráfego da BR-262 fechado. A carreta com carga excedente saiu do local sob escolta da PRF e permanece estacionada no posto de abastecimento de combustível próximo do local. O motorista da carreta com carga excedente saiu ileso.

Batida no trevo

Hoje de madrugada, um Fiat Palio se envolveu num acidente no trevo do Batalhão da PM, também na BR-262, em Venda Nova. Os plantonistas das unidades da Polícia Rodoviária Federal de Ibatiba e Viana não souberam dar mais informações, já que a ocorrência não estava computada.

* Fonte: Folha Vitória e Rádio FMZ

Confira mais Notícias

Definido calendário do IPVA 2024 para o Espírito Santo

Governo do Espírito Santo anuncia pagamento de abono salarial em dezembro

Procon-ES alerta quanto às armadilhas do verão

Secretaria Estadual de Educação realiza processo seletivo para Cuidador

Nova espécie de planta é descoberta no Espírito Santo

Novos pároco e vigário da Paróquia São Pedro tomam posse em Venda Nova

Transportadores de cargas têm até dia 31 de janeiro para se tornarem MEI Caminhoneiro

Parque Estadual do Forno Grande recebe exposição fotográfica `Aves de Caetés´