FMZ A Rádio
da Família

Agricultura

Visita de comitiva dos EUA consolida Espírito Santo no cenário internacional do café

Depois de visitar locais de produção de café arábica no Espírito Santo, a comitiva da qual fizeram parte funcionários do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês) pegou a estrada e também percorreu propriedades rurais que são referência no cultivo de café conilon. A missão técnica foi organizada pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), e passou pelas regiões serrana e norte capixabas, nas últimas semanas.

O secretário de Estado da Agricultura, Enio Bergoli, acompanhou parte das agendas com o especialista do United States Department of Agriculture (USDA), Joseph Degreenia, além da especialista do Office of Agricultural Affairs (OAA), Marcela Formiga. Bergoli considera muito positiva a vinda da comitiva do USDA, porque coloca o Espírito Santo em evidência no cenário internacional da cafeicultura.

“O interesse de organizações internacionais na produção agrícola capixaba mostra o reconhecimento dos esforços dos nossos produtores rurais em colher um café de qualidade, além de evidenciar também a participação ativa do Governo do Estado no fomento a estratégias que gerem soluções tecnológicas e de inovação para o desenvolvimento sustentável da cafeicultura no Espírito Santo”, ressaltou o secretário Enio Bergoli.

Durante a visita ao Estado, o grupo percorreu fazendas produtoras, de pesquisa agropecuária e extensão rural, além de indústrias, cooperativas e empresas exportadoras. Eles também puderam conferir de perto a produção e o processo de cultivo dos cafés especiais de origem capixaba, com o foco principal nas Indicações Geográficas (IG) das Montanhas Capixabas, da região do Caparaó e do Conilon capixaba.

A equipe da USDA é responsável pelo diálogo e estreitamento das relações governamentais entre Brasil e Estados Unidos, nas questões relacionadas à agricultura e na identificação de oportunidades de comércio. Na avaliação do subsecretário de Estado de Desenvolvimento Rural, Michel Tesch Simon, essa vinda da equipe da USDA consolida a importância do Espírito Santo no cenário internacional do café.

“A missão do governo dos Estados Unidos ao Espírito Santo demonstra que os capixabas têm capacidade de fornecer qualidade e quantidade para atender às necessidades do mercado consumidor do País, que é o maior do mundo, com destaque também para a sustentabilidade requerida por eles”, afirma Simon.

Também fizeram parte do roteiro de visitas o Grupo Tristão, na fábrica da Real Café, a Cooperativa Agrária de Cafeicultores de São Gabriel (Cooabriel) — maior cooperativa de café Conilon do Brasil — e o Centro de Cafés Especiais do Espírito Santo (Cecafes), em Venda Nova do Imigrante.

“Receber uma missão técnica desse porte atesta o crescente interesse dos mercados compradores pelos cafés capixabas e acontece justamente em um momento importante para o café conilon. Muito embora a alta expressiva nos preços esteja ligada a questões que vão desde a quebra de safra de países produtores a dificuldades logísticas, um ponto de destaque é a inegável melhoria da qualidade, crucial para o avanço da variedade no mercado internacional”, pontuou o superintendente da Cooabriel, Carlos Augusto Pandolfi.

“Essa foi uma iniciativa importante para os representantes do USDA confirmarem toda a eficiência produtiva da cafeicultura capixaba, bem como todo o trabalho de pesquisa que é realizado e a difusão desse conhecimento, por meio da assistência técnica e extensão rural, para que os produtores atinjam seus resultados, respeitando quesitos sociais e ambientais”, afirma o diretor-presidente do Incaper, Franco Fiorot.

Café orgânico do jacu

A comitiva da Seag e do USDA visitou a Fazenda Camocim, na última quarta-feira (24), local responsável pela produção do Jacu Bird Coffee, o café do jacu, que teve início há mais de dez anos e rapidamente se tornou uma das mais caras do mundo. Segundo o proprietário, Henrique Sloper, antes do processo com os jacus ter início, os cafezais já eram cultivados dentro das práticas da agricultura orgânica e do sistema agroflorestal.

“Nessa visita, eles acompanharam todo o processo de produção dos nossos cafés orgânicos com cultivo sustentável, desde a semente ao expresso, como é cultivado o café e realizado também o aproveitamento dos resíduos de todos os processos. O Governo do Estado tem esse importante papel de promover conhecimento e divulgação dos produtos da nossa terra. Essa visibilidade em relação aos processos de cultivo sustentáveis, assim como em relação aos produtos do Espírito Santo, é muito importante para os produtores”, declarou Sloper.

Confira mais Notícias

Agricultura

Colheita do café conilon começa em 2024 em todo o Estado capixaba

Inscrições abertas para curso na área de fruticultura e cafeicultura em Venda Nova

Projeto cria selo para cafés produzidos de maneira artesanal

Inscrições abertas para leilão e premiação de cafés tardios de qualidade em Venda Nova

Venda Nova vai premiar e leiloar cafés especiais da safra 2022 – 2023

Proprietários de imóveis rurais já podem emitir CCIR 2021

Lançada 2ª edição do Prêmio Cafés Especiais do Espírito Santo

Pé de palmito com duas cabeças” impressiona agricultor em Venda Nova”